Artigos

10 jogos indie que você não pode perder no Nintendo Switch

Alguns jogos indie se tornam tão famosos que acabam aparecendo em todas as listas de melhores jogos de um console — Shovel KnightRocket LeagueHollow Knight, entre outros, já estão presentes na memória de qualquer gamer. Com essa lista, pretendemos apresentar alguns jogos que podem ter passado batido ou até mesmo que você não saiba que já foram lançados para o Nintendo Switch, mas que merecem tanto da sua atenção como qualquer outro.


wonder boy

Wonder Boy: The Dragon’s Trap

Muita gente está animada para o remake de Streets of Rage 4, clássico beat ‘em up da SEGA. O que muitos não sabem é que antes disso, a Lizardcube havia desenvolvido um remake completo de Wonder Boy III: The Dragon’s Trap, lançado em 2017. O jogo inclui a capacidade de alternar entre o visual clássico e o renovado com um botão, substituindo até a música! Como se apenas a jogabilidade incrivelmente variada e satisfatória não fosse o suficiente, os artistas na desenvolvedora parisiense ainda criaram um dos estilos gráficos mais agradáveis e lindos da história dos videogames. Wonder Boy: The Dragon’s Trap se vê em casa em um sistema como o Switch por sua natureza rápida e dinâmica.


floor kids

Floor Kids

Floor Kids é um jogo essencial para qualquer fã de jogos de ritmo. Com batidas pelo renomado DJ Kid Koala — conhecido por colaborações com a banda Gorillaz, entre outras — e gráficos desenhados à mão por JonJon, o jogo é uma coletânea de fases onde o objetivo é criar seus próprios passos de dança na hora. Com vários personagens com habilidades únicas, o tempo jogando Floor Kids parece passar em um instante. Lançado primeiramente como um exclusivo para Switch, agora já está disponível em outras plataformas.


little inferno

Little Inferno

Little Inferno não é um jogo novo, mas ganha uma nova vida no Switch por sua natureza de sessões curtas de jogatina. O jogo possui uma das mecânicas mais estranhamente satisfatórias de qualquer indie — o objetivo principal é queimar objetos para ganhar dinheiro para comprar mais objetos para queimar. Isso sem contar com o humor sarcástico típico dos jogos da Tomorrow Corporation e elementos inusitadamente profundos da história.


steamworld dig 2

SteamWorld Dig 2

Aprimorando a fórmula criada pelo primeiro jogo e expandindo o universo SteamWorld, SteamWorld Dig 2 é um dos jogos mais viciantes no console. Desde que comprei o jogo até completá-lo, não consegui parar de pensar nos próximos minérios que iria escavar, próximas melhorias para a minha picareta e próximos chefões que apareceriam no meu caminho. Com esse jogo, a Image & Form conseguiu solidificar tanto seu espaço no mundo dos jogos independentes como a crescente importância da franquia SteamWorld.


don't starve

Don’t Starve

Originalmente criado na onda dos jogos de sobrevivência iniciada por jogos como Minecraft e DayZ, Don’t Starve conseguiu se diferenciar e expandir seu conteúdo através de uma direção de arte e humor sombrios e uma trilha sonora inspiradíssima, além de mecânicas de jogo viciantes. O objetivo é simples: sobreviver durante o maior período de tempo possível, estando atento aos perigos dessa ilha — que podem ser mais imprevisíveis do que parece.


the gardens between

The Gardens Between

Primeiro jogo para consoles da The Voxel Agents, The Gardens Between me fez chorar de uma forma que eu nunca havia experienciado antes com um jogo. A atmosfera nostálgica e melancólica do jogo é indescritível, e é uma experiência que tem que ser vivida para ser compreendida. Complete os puzzles com manipulação de tempo e acompanhe essa história de doer o coração nesse mundo mágico e estranhamente familiar.


fast rmx

Fast RMX

Sucessor espiritual da franquia F-Zero, Fast RMX se dedica inteiramente à velocidade como mecânica principal de jogo. O jogo oferece gráficos espetaculares e uma dificuldade íngreme para capturar a atenção de gamers que sentem falta de antigas franquias e corrida extrema, bem como a de jogadores que podem entrar agora nesse mundo. Mas o jogo não se prende só ao passado, implementando novas mecânicas como boosts e mudança de cores para aproveitar ao máximo a velocidade do veículo.


crypt of the necrodancer

Crypt of the Necrodancer

O que aconteceria se algum desenvolvedor independente juntasse jogos de masmorra, como os antigos jogos da série The Legend of Zelda, com jogos de ritmo? Aconteceria Crypt of the Necrodancer, um jogo extremamente original e cheio de charme. Não é à toa que Cadence of Hyrule, crossover deste jogo com os personagens de The Legend of Zelda, foi publicado oficialmente pela Nintendo há algumas semanas.


towerfall

TowerFall

Do mesmo criador de Celeste, Matt Makes Games, TowerFall é a experiência definitiva de multijogador de sofá. Não me responsabilizo por nenhuma amizade perdida! Aqui, os jogadores devem usar todos os seus recursos e explorar as mecânicas de cada mapa para o objetivo final, que pode ser matar o maior número de jogadores ou ser o último a sobreviver. Se tiver amigos que não reagem bem à derrota, também é possível optar pelo modo cooperativo.


rogue legacy

Rogue Legacy

Um dos primeiros metroidvanias gerados proceduralmente, Rogue Legacy consegue manter-se fresco mesmo após várias jogatinas seguidas. Os inimigos são criativos e as mecânicas recompensadoras, além de um humor na medida certa e jogabilidade simples. O jogador controla um rei que deve explorar uma masmorra. Quando o rei morre, o jogador controla o rei da próxima geração, que devido a relações incestuosas na monarquia possui características únicas, que podem ajudar ou prejudicar a jogabilidade. É um jogo essencial tanto por ser muito bom quanto para perceber sua influência em jogos futuros, como Dead Cells.

Anúncios
Comments (1)

Deixe uma resposta

Anúncios
Anúncios
Anúncios
Anúncios
Não perca nenhuma novidade!
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: