Se tratando de Mega Man, a Capcom não vai criar novas aventuras tão cedo para X – até porque estão se esforçando atualmente para finalizar Mega Man 11. Sendo assim, a desenvolvedora Batterystaple Games criou 20XX para preencher esse espaço na indústria, usando da nostalgia como sua maior qualidade e inovando em muitos pontos.

O jogo é inteiramente baseado em Mega Man, e sem medo de assumir isso. Todas as vezes que ele é iniciado, mostra uma cutscene exatamente igual a do segundo jogo da franquia em que se inspiraram. A única diferença é que agora controlaremos uma personagem feminina, Nina, usando o mesmo traje azul. Também podemos jogar com Ace, quase igual a Zero.

 

 

 

Mesmo assim, não conseguem se inspirar dessa vez para fazer uma história boa. Praticamente ele não tem narrativa e isso que mais me frustrou.

Após a introdução, o jogo te apresenta a um lobby semelhante a uma base espacial, onde você pode escolher um entre os dois personagens, comprar aprimoramentos permanentes para eles e escolher entre variados modos de jogo (mas que basicamente são a mesma coisa). Proceduralmente a fase é feita, começando com um mapa aleatório e um design diferente, que espalha inimigos e plataformas. Nela você também pode encontrar escondidos (ou não) poderes, armas e recursos novos. Quando acaba de jogar essa partida, você luta contra um chefão também gerado aleatoriamente. Se você o derrotar, pode pegar sua arma ou poder para usar em uma próxima partida, que você pode escolher o mapa dessa vez.

Aparentemente, 20XX não enjoaria tão fácil, já que oferece tantas possibilidades, mas não é bem assim. Ele não apresenta tamanha diversidade em nada, o que não seria um empecilho tão grande se esse não fosse o foco deles. Tiveram a ideia perfeita de mesclar um dos maiores jogos de todos os tempos com geração procedural, mas fizeram-na mediocremente. Além da falta de opções, as poucas que existem não estão muito bem organizadas e não surpreendem. Algo que pode recompensar isso é a dificuldade, que aumenta a cada partida numa escala muito bem equilibrada.

g1
Felizmente, a dificuldade em 20XX aumenta de forma equilibrada.

A experiência do jogo é muito boa, especialmente se você já teve o prazer de jogar no mínimo um jogo da franquia Mega Man. O que melhora isso é a gameplay, que é incrivelmente perfeita e é mais divertida que os originais. Isso foi o que mais me surpreendeu positivamente. Se tratando de gráficos, sabem usar de sua inspiração para criar sua própria identidade. Já a trilha sonora é bem fraca. Sabe se apropriar dos elementos futuristas, mas chega a ser irritante por ser bem repetitiva.


Conclusão

20XX é uma ótima pedida se você gostava dos antigos clássicos da Capcom. Não chega ser uma homenagem à altura deles, mas junta uma gameplay incrível a uma nostalgia imensa e pode ser uma experiência boa, apesar de levemente monótona.


O melhor

  • Jogabilidade satisfatória
  • Dificuldade na medida certa para cada jogador
  • Alta dose de nostalgia

O pior

  • Pode ser enjoativo
  • Não possui narrativa
  • Trilha sonora irritante

7/10

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s