Artigos

A indústria AAA é um exemplo perfeito do fracasso do capitalismo desregulado

Se tornou muito comum que os gamers protestem contra ações condenáveis de grandes empresas de videogame — e isso é, indiscutivelmente, positivo. Mas é um pouco contraditório que muitas dessas pessoas sejam as primeiras a se posicionarem contra ideias vagamente socialistas e radicamente a favor do livre mercado, sem regulações ou intervenções governamentais. Porque, quando você para pra pensar, a indústria de videogames AAA é um exemplo perfeito do quão destrutivo o capitalismo desregulado pode ser, e o quão longe esses milionários (e bilionários) podem ir para ganhar mais e mais dinheiro. Me parece um pouco ingênuo achar que estes problemas ocorrem apenas dentro desta indústria específica, e que capitalismo desregulado funcionaria perfeitamente fora dela. Então me deixe tentar expor alguns paralelos:


Desvalorização da força de trabalho em favor de CEOs e executivos

O caso mais emblemático desse ponto foi quando a Activision Blizzard demitiu 800 funcionários depois de bater seu próprio recorde ao lucrar 7,5 bilhões de dólares em 2018 — número maior que o PIB de diversos países e um crescimento de 7% em relação ao ano anterior — enquanto o CEO da empresa, Bobby Kotick, ganhava uma quantidade absurda de 26,8 milhões de dólares, 306 vezes mais que o funcionário médio da Activision Blizzard.

Quando o sistema capitalista não é regulado, CEOs sempre recebem salários anormalmente gigantes, tratando a força de trabalho como commodities que podem ser facilmente demitidos e substituídos. É raro que você saiba os nomes das pessoas por trás dos jogos mais populares, por exemplo. Você sabe quem foi o diretor do último Call of Duty? Talvez do último FIFA? De Anthem? De Wolfenstein II? De Far Cry 5? Provavelmente não. Porque, se você soubesse, você se sentiria mal quando eles fossem substituídos pelo próximo diretor descartável.

Bobby Kotick, CEO da Activision Blizzard, recebe um salário 306 vezes maior do que o salário médio de um funcionário da empresa

Sonegação de impostos

Durante os últimos dez anos, a Rockstar North pagou um total de zero libras em impostos de corporação, mas recebeu 42 milhões de libras em isenções fiscais graças a um incentivo do governo britânico que, em sua concepção, deveria ajudar pequenas desenvolvedoras independentes.

Impostos devem ser usados para o bem do povo. Você não se sente mal pagando seus impostos enquanto essas corporações com mais dinheiro do que você jamais verá literalmente roubam de você? Grandes corporações sempre tentarão sonegar impostos, e isso se tornou comum não só nessa, mas na maior parte das indústrias. Pelo simples fato de que essas empresas só querem mais e mais dinheiro, não importa que algumas pessoas não tenham comida, hospitais ou educação por causa disso.

A Rockstar North, desenvolvedora de Grand Theft Auto V, recebeu 42 milhões de libras em isenções fiscais sem pagar um único centavo em impostos

Práticas predatórias e cassinos eletrônicos

Corporações sempre farão tudo que podem para conseguir todo o dinheiro. Não importa se, para isso, eles exploram pessoas com personalidades propensas a vícios, para que elas gastem o pouco de dinheiro que elas podem ter, desde que esse dinheiro vá parar no bolso das corporações. O exemplo mais notório desse comportamento é o modo Ultimate Team, presente na série anual FIFA, o precursor da onda de lootboxes que tomou a indústria recentemente. Não importa se crianças sofrem bullying por não terem uma skin, desde que depois de sofrerem bullying elas gastem o dinheiro dos pais para obtê-la, como tem acontecido em Fortnite. Não importa se as corporações estão arruinando o jogo para as pessoas que não querem gastar. A única coisa que importa é que haja mais e mais dinheiro em seus bolsos corporativos.

Em um ambiente de capitalismo desregulado, pessoas poderosas alegremente exploram as classes mais baixas para que se tornem ainda mais poderosas e ricas, e querem que as essas classes possuam apenas o dinheiro necessário para gastar com as corporações, mas que não tenham o dinheiro necessário para substancialmente alterar qualquer aspecto do status quo.

O modo Ultimate Team da série FIFA é o caso mais emblemático de microtransações que exploram personalidades propensas ao vício

Nada é político (a não ser possam lucrar com isto)

Publicadoras AAA nunca se posicionarão ou farão qualquer coisa que tenha o potencial de dividir sua audiência — a não ser que achem que esta coisa em questão pode render mais montanhas de dinheiro. É por isso que David Cage disse que Detroit: Become Human era “sobre andróides”, e muito pouco político, ou que a Ubisoft insistiu que The Division 2 — um jogo pós-apocalíptico que se passa na capital política dos Estados Unidos e começa sua história com uma mensagem pró-armamento — não fazia qualquer afirmação política. Eles sabem que, se eles se disserem políticos em qualquer forma, eles verão uma repercussão negativa por parte da comunidade, provavelmente perdendo dinheiro.

Grandes corporações nunca farão nada porque acreditam genuinamente em algo porque, no final das contas, elas acreditam apenas em dinheiro. A Nike não se posicionou a favor de Colin Kaepernick quando ele se ajoelhou para o hino nacional estadunidense em protesto contra a violência policial porque a empresa acha que era a coisa moralmente certa a se fazer. Eles o fizeram porque acharam que poderiam ficar ainda mais ricos com isto (e ficaram!). O Pride Month também tem se tornado cada vez mais uma festa de exploração capitalista.

David Cage, diretor de Detroit: Become Human, um jogo repleto de metáforas sobre justiça social, negou que o jogo era, de alguma forma, político

Esses são alguns tópicos importantes que notei, onde a indústria de jogos AAA exemplifica o quão tóxico o capitalismo desregulado pode ser. Seria interessante se este artigo pudesse começar uma discussão respeitosa nos comentários, sinta-se livre para expressar sua opinião.

Anúncios
Comments (0)

Deixe uma resposta

Anúncios
Anúncios
Anúncios
Anúncios
Não perca nenhuma novidade!
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: