Artigos

As estandes indie na BGS 2018

Entre os dias 10 e 14 estava acontecendo a Brasil Game Show 2018, no Expo Center Norte, em São Paulo, que é considerada a maior conferência de jogos da América Latina. Eu fui lá no dia 12, sexta-feira, e fotografei algumas partes da “Avenida Indie“, que era composta por muitas desenvolvedoras independentes tentando mostrar seus jogos ao público. Nesse post veremos algumas estandes que eu achei mais interessantes – não estou impondo o que foi melhor ou não, e sim falando o que mais me chamou a atenção em meio a tantas novidades. Aliás, deixo aqui meus sinceros parabéns a todos os envolvidos, porque na minha opinião foi um dos melhores espaços da BGS.


Boneloaf

A empresa que desenvolveu o icônico Gang Beasts marcou presença, e trouxe esse seu maior sucesso como maior atrativo. No seu espaço, disponibilizaram alguns equipamentos para o público testar – e se divertir muito – com seu jogo. Gang Beasts foi lançado, após anos de Early Access, em 17 de dezembro de 2017 para PC e Ps4, e é classificado como um dos jogos mais engraçados de todos os tempos. É um multiplayer de luta onde jogadores, interpretados por gelatinas, protagonizam confrontos de uma maneira muito despojada, e torna toda essa experiência única. Sinceramente, ver um título como esse lá foi uma grande surpresa.

DpfpdA9XgAAKX6K

2AXION

A desenvolvedora criada por Mario Silveira trouxe Trigger Run, FPS ainda em Open Beta que reúne os conceitos de jogos como Overwatch e Paladins para criar algo “acessível” a todos. É um jogo para PC que roda sem grandes configurações, que faz um matchmaking balanceado – o próprio criador fala que quer abraçar os jogadores iniciantes e criar partidas rápidas e divertidas, e que tem servidores bem cuidados para não ter lag. O estande, na minha opinião, foi um dos mais bem organizados, e todos seus atendentes foram sensacionais. Me deram uma cópia do jogo em DVD, me trataram muito bem e me ofereceram até uma camiseta. Por tudo isso, farei uma análise do jogo em breve.

OBS: Apesar de terem me dado uma cópia do jogo, ele é gratuito.

DpfpWLsW4AEpPc4

Ignite Game Studio

A empresa resolveu fazer diferente da maioria das outras, e trouxe um jogo em VR, chamado Rei do Cangaço – sim, esse é o nome do jogo. No jogo, você é um dos cangaceiros mais famosos do sertão, e morre após armarem uma cilada. Já em outra dimensão, você precisa matar demônios para ser libertado da morte. Rei do Cangaço só estará disponível para PC. Sua estande me chamou a atenção por dois motivos: por seu design moderno e muito diferente das outras e por trazer um jogo com essa temática, que está sendo desenvolvido para uma tecnologia tão escassa como VR – mas mesmo assim funciona tão bem.

DpfpdAoX4AEnOnq

Bloober Team

É basicamente a maior empresa entre as que estavam presentes. Nem precisaram mostrar tanto, só deixaram os grandes jogos Layers of Fear e Observer tomarem conta do layout simplista preto da estande. O primeiro título foi lançado em 16 de fevereiro de 2016 para PC, Ps4 e Xbox One e para Nintendo Switch em 21 de fevereiro de 2018, e é de terror, só que foge do convencional por ser tão interativo; já o segundo foi lançado em 15 de agosto de 2017 para PC, Ps4 e Xbox One e é de terror também, só que com uma pegada cyberpunk, onde você revive seus próprios pesadelos para encontrar pistas, já que você é um detetive.

DpfpWLtWwAICHuv

Warhorse Studios

Em último lugar temos uma das mais importantes, e talvez a que mais me encantou. Essa desenvolvedora criou um RPG realista intitulado Kingdom Come: Deliverance, e após um grande financiamento coletivo o lançou. Começou como uma brincadeira se tornou algo sério, chegando a receber notas altíssimas, como 84, pela equipe PC Gamer. Além de terem trazido algo tão incrível, ainda contaram com um dos maiores espaços e o que era na minha opinião o mais elegante. Seus integrantes entregavam máscaras do jogo de graça para quem jogasse e foram muito gentis com todos também. Por tudo isso, merece muito meu destaque.

DpfpWL2XUAMp5gw

Studica Solution

A empresa trouxe Gravity Heroes, jogo 2D de arena futurístico com um ritmo rápido, onde heróis lutam, controlando a gravidade, pela paz entre humanos e máquinas. É um jogo ambicioso, porém estava num espaço sem nenhuma decoração, e acho que por isso não foi um dos maiores destaques da feira, mas merecia mais. No jogo, você usa da gravidade para atravessar o cenário e destruir hordas de inimigos, tudo isso com a nostalgia trazida pelo seu belíssimo estilo 8-bit. Gravity Heroes era o jogo mais bonito visualmente, mas sua estande pecou nesse sentido.

DpfpWLqW0AA06tx

Behold Studios

A desenvolvedora conhecida por jogos como Chroma Squad deixou o público surpreso ao mostrar finalmente o jogo Out of Space em plena BGS. O jogo não tem data de lançamento, mas estava disponível e podia ser jogado nessa estande muito bem tematizada. Out of Space se trata de organizar e administrar uma nave espacial, seja limpando ou comprando móveis por exemplo, mas traz mecânicas muito boas que deixam o gameplay ser muito fluído.

DpfpdAyWsAEfz3d

Após essa pequena análise, devo pedir desculpas pela péssima qualidade das fotos, reforçar que escolhi os que mais me interessaram e não os melhores de fato e parabenizar todos que apresentaram seus projetos nessa grande feira. Foi excelente representar a The Game is a Lie em um evento como esses, e com a colaboração dos que me atenderam tudo foi muito mais gracioso.

Anúncios
Next Article
Dead Cells - Análise
Comments (0)

Deixe uma resposta

Anúncios
Anúncios
Anúncios
Anúncios
Não perca nenhuma novidade!
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: