Análises

Morphies Law Remorphed — Análise

O mundo dos jogos indie costuma pecar quando o assunto é jogatina online. Apesar de algumas exceções aqui e ali, a maior parte dos jogos lançados contam apenas com um modo de um jogador e, quando contam com algum modo multijogador, costuma ser offline. A desenvolvedora Cosmoscope tenta abrir espaço neste mercado com Morphies Law Remorphed, uma atualização do último jogo da empresa, Morphies Law, que havia sido lançado no ano passado.

Morphies Law Remorphed é um jogo de tiro em terceira pessoa com um conceito muito interessante — tudo gira em torno do ganho e perda de massa. Ao acertar um inimigo, o jogador ganha massa na parte do corpo que é acertada, enquanto o alvo perde. O tamanho de cada parte do corpo afeta o gameplay de alguma forma; quanto maiores as pernas, mais alto o jogador pode pular, por exemplo. Tudo isso é embalado em uma divertida identidade que busca inspirações principalmente no festival mexicano do Dia dos Mortos, se espalhando pela trilha sonora, direção de arte e design dos personagens.

A temática é provavelmente o ponto mais alto do jogo. Desde as músicas divertidas com influências mariachi, passando pelas customizações inusitadas do jogador — que incluem até o instrumento tocado pelo personagem — e chegando nas cores vibrantes que acentuam os pontos mais chamativos dos mapas e personagens, tudo cria uma atmosfera aprazível. Por vezes, o jogo ainda pode ser bastante engraçado, mesmo que algumas das piadas pareçam muito infantis.

A temática do Dia dos Mortos concede ao jogo um ambiente de bom humor.

O sistema de customização também é muito bem pensado. O jogo oferece missões diárias que recompensam o jogador com peças, que podem ser usadas para comprar itens ou pinhatas, e pinhatas, que são lootboxes que contém itens aleatórios de customização. Felizmente, não é possível adquirir peças ou pinhatas com dinheiro real. O ritmo com que o jogador ganha peças por cada partida é um pouco lento, mas é um grande avanço se comparado com o jogo original, onde ele era quase insuportavelmente vagaroso. Há muitos itens, tanto estéticos quanto efetivamente úteis, disponíveis, garantindo que cada jogador terá uma estratégia e uma aparência completamente única.

Temos um conceito interessante, um bom sistema de recompensa e uma boa direção artística. Com um bom gameplay, Morphies Law Remorphed pode ser um sucesso, certo!? Sim, mas é aí que a Cosmoscope fracassa radicalmente. A jogabilidade do jogo falha em múltiplos pontos e, no final das contas, resulta em algo medíocre, que não incita nenhuma emoção ou vontade de voltar a jogar. A movimentação é frustrantemente limitada, não sendo possível correr — a velocidade de movimento depende da quantidade de massa nos pés do personagem — ou dar um zoom com a arma para uma melhor precisão. Este último se torna especialmente irritante quando tentando acertar um inimigo que esteja muito pequeno.

As limitações da jogabilidade tornam alguns momentos mais frustrantes do que divertidos.

A variedade de modos e mapas é razoável, estando a sensação de reciclagem sempre presente. Apesar dos objetivos serem diferentes nos vários modos, o gameplay acaba sendo muito similar entre a maior parte deles. Jogar com IAs não é muito divertido, já que você depende muito mais da sorte de cair no time de boas IAs do que de sua própria capacidade. Por muitas vezes, terminei o jogo como primeiro lugar disparado só para me ver derrotado por ter companheiros de IA absurdamente incompetentes. E por que eu estava jogando com IAs, você me pergunta? É porque eu não consegui encontrar uma única pessoa online. Nenhuma alma viva. Os 60 segundos de espera passavam todas as vezes sem sequer um sinal de algum outro ser humano.

O jogo oferece um feedback sonoro satisfatório ao acertar um inimigo, fortalecendo sua trilha sonora. A tradução para o português é mediana, com várias expressões estranhas ou traduzidas do inglês de forma literal demais.


Conclusão

Morphies Law Remorphed tem quase tudo para ser um cativante jogo de tiro online, mas falha na qualidade e variedade do gameplay. Apesar de claras melhorias em relação ao jogo original, é difícil não sair com a sensação de que o conceito foi desperdiçado. Sem uma fundação robusta, não importa o quão sólidas são as paredes ou o teto; a casa cai.

(cópia para análise gentilmente cedida pela publicadora)

Anúncios
Previous Article
Neo Cab — Análise
No Newer Articles
Comments (0)

Deixe uma resposta

Anúncios
Anúncios
Anúncios
Anúncios
Não perca nenhuma novidade!
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: