Listas

Os 10 melhores jogos indie de 2020

O ano de 2020 foi emocional para todos nós, e isso se refletiu também nos jogos lançados. Grandes nomes do ano, como Embracelet, Kentucky Route Zero: TV Edition e If Found… buscam seu poder em histórias comoventes e introspectivas. Ainda assim, não foram só os jogos de aventura que surpreenderam. Outras obras como Hades, Spelunky 2, Filament e Root garantiram que qualquer pessoa pudesse encontrar algum indie para amar este ano.

Como de costume, nós do The Game is a Lie lançamos, no último dia do ano, uma lista dos melhores indies lançados durante o ano. Cada membro do The Game is a Lie escolheu seus 10 jogos independentes preferidos lançados em 2019 no ocidente, distribuindo 10 pontos ao primeiro colocado, 9 ao segundo, 8 ao terceiro, e por aí em diante. Esta lista classifica os jogos de acordo com o número de pontos total de cada um:


10) Paradise Killer

Desenvolvedora: Kaizen Game Works
Plataformas: PC, Switch

Paradise Killer é um jogo muito estiloso, e isso o identifica no meio da multidão indie. Felizmente, porém, ele não depende só desse estilo para estar nesta lista. Suas mecânicas de investigação de um assassinato, sua atmosfera de mistério e seu elenco diversificado de personagens tornam-no um dos melhores jogos do raro gênero “quem matou?”


9) Wide Ocean Big Jacket

Desenvolvedora: Turnfollow
Plataformas: PC, Switch

Wide Ocean Big Jacket é, essencialmente, um jogo acolhedor e humano sobre os constrangimentos e emancipações da vida. Sem ter necessariamente um protagonista definido, o jogador segue uma viagem para um acampamento com Mord, de 13 anos, Ben, seu amigo de longa data que agora se tornara seu namorado, e seus tios Brad e Cloanne, adultos de 30 e poucos anos que não têm e não se sentem plenamente confortáveis cuidando de crianças. As interações entre os personagens, bem como a evolução de cada um, são imperdíveis.


8) Filament

Desenvolvedora: Beard Envy
Plataformas: PC, Switch

Os quebra-cabeças de Filament são incrivelmente inovadores e desafiadores. Sendo assim, o jogo se torna um excelente passatempo e exercício mental. Mas os desenvolvedores da Beard Envy não se limitaram a isto, implementando como uma linha de seguimento, uma história cativante — fato inusitado para um jogo do gênero.


7) Umurangi Generation

Desenvolvedora: Origame Digital
Plataformas: PC, Switch

O termo “Umurangi Generation” significa “geração do céu vermelho”, e essa frase em si carrega muito da atmosfera e história do jogo. Inspirado pelos incêndios em 2019 na Austrália e pela pandemia de COVID-19, a Origame Digital vai contra a corrente ao pôr os protagonistas, jovens que são geralmente demonizados, como fontes de esperança. O sistema de fotografias que forma a principal mecânica do jogo é uma mera cereja nesse delicioso bolo cyberpunk.


6) Going Under

Desenvolvedora: Aggro Crab
Plataformas: PC, PlayStation 4, Switch, Xbox One

Apesar das mecânicas de dungeon crawler em Going Under não serem particularmente inovadoras, são seu contexto distópico e comentários sociais que fazem toda a diferença. Controlando uma estagiária sem salário em uma startup, o jogador deve explorar o mundo de empresas falidas de tecnologia na cidade de Neo-Cascadia. Em seu cerne, o jogo da Aggro Crab é uma paródia pungente, formidável e hodierna do capitalismo empresarial.


5) There Is No Game: Wrong Dimension

Desenvolvedora: Draw Me A Pixel
Plataformas: Android, PC

A sequência do curto e popular There Is No Game, de 2015, não decepciona em nenhum aspecto. Pascal Cammisotto, principal desenvolvedor do jogo, superou diversos obstáculos para nos entregar algo infinitamente divertido. Com reviravoltas inesperadas, piadas hilárias e mecânicas inovadoras, There Is No Game: Wrong Dimension é indubitavelmente um dos jogos mais excêntricos e inigualáveis já lançados.

Leia a nossa análise de There Is No Game: Wrong Dimension clicando aqui!


4) Spiritfarer

Desenvolvedora: Thunder Lotus
Plataformas: PC, PlayStation 4, Stadia, Switch, Xbox One

Spiritfarer é, superficialmente, um jogo de administração. Mas sob a supefície há uma aventura aconchegante sobre amizade, a percepção da morte e exploração da vida. É quase impossível segurar as lágrimas nessa viagem que tem, como destino, o entendimento do fim da vida como uma parte fundamental dela. E, para completar, a Thunder Lotus criou visuais extraordinários que acompanham o jogador por toda esta jornada.


3) Kentucky Route Zero: TV Edition

Desenvolvedora: Cardboard Computer
Plataformas: PlayStation 4, Switch, Xbox One

Os sete anos de lançamento de Kentucky Route Zero finalmente foram concluídos com o quinto e último ato para PC, acompanhado pelas versões de PS4, Switch e Xbox One — e a Cardboard Computer se certificou de terminar essa história cativante e intrigante de mistério existencial em grande estilo. Suas mecânicas de point-and-click e seus visuais quase inacreditavelmente belos fortalecem sua narrativa. Num todo, Kentucky Route Zero: TV Edition é uma obra-prima que mostra a força independente no mundo dos games.


2) Embracelet

Desenvolvedora: Machineboy
Plataformas: PC, Switch

Comecei a jogatina de Embracelet sem saber o que esperar, e terminei a mesma quatro horas depois aplaudindo, secando as minhas lágrimas e querendo jogar de novo, sentindo aquela sensação quentinha no coração, como aquela que se sente com o abraço de alguém que gostamos. O jogo é um abraço virtual da Machineboy para qualquer um que queira jogá-lo. De alguma forma, ele conta uma história clássica e apaixonante de amadurecimento com uma reviravolta que faz o jogador sentir tudo e mais um pouco, ainda assim sem tropeçar em si mesmo.

Leia a nossa análise de Embracelet clicando aqui!


1) Hades

Desenvolvedora: Supergiant Games
Plataformas: PC, Switch

Hades é um triunfo inegável, a obra-prima de Supergiant Games, que já havia solidificado seu lugar na indústria com títulos como Bastion, Transistor e Pyre. É difícil encontrar algum defeito nesse mundo inspirado na mitologia grega, amparado por um sistema de combate divertido e dinâmico, uma trilha sonora impecável, visuais espetaculares e uma narrativa de tirar o chapéu. Eu sabia, desde que joguei Hades pela primeira vez após seu lançamento oficial, que o primeiro lugar desta lista estaria reservado para ele.


Qual é a sua lista dos melhores indies do ano? Deixe-nos saber comentando abaixo!

Comments (0)

Deixe uma resposta

Não perca nenhuma novidade!
%d blogueiros gostam disto: