Listas

Os 10 melhores jogos indie de estratégia

Os jogos de estratégia se caracterizam, em geral, por requererem pensamento habilidoso e planejamento para alcançar a vitória. Para melhor guiar suas compras, listamos aqui os dez melhores indies que se auto-denominam de estratégia:


10. Prison Architect

Prison Architect, inicialmente desenvolvido pela Introversion Software e depois pela Double Eleven, foi lançado oficialmente só em 2015, mas já pôde ser jogado desde 2012, lançando um diagrama que seria depois utilizado em inúmeros jogos de simulação, por sua natureza dinâmica e intuitiva. Seja em construções de complexos comerciais em Another Brick in the Mall ou de aeroportos em SimAirport ou Airport CEO, a influência de Prison Architect é agora inescapável no cenário independente.

Lançado em 6 de outubro de 2015. Disponível para PC, PlayStation 4, Switch, Xbox 360, Xbox One, Android e iOS.

Comprar: Steam | PlayStation Store | Xbox Marketplace | Microsoft Store | Google Play | App Store


9. Game Dev Tycoon

A Greenheart Games conseguiu capturar os processos de desenvolvimento de jogos em uma mecânica simples que evolui com o tempo. Durante toda a campanha, a evolução de cada um dos aspectos é clara e visível, tornando-a incrivelmente satisfatória. Além disso, ver os acontecimentos da indústria real de games simulados em um jogo é muito interessante, e os textos são recheados de um humor sutil. Game Dev Tycoon é, no fim das contas, um jogo muito agradável que merece sua atenção.

Lançado em 10 de dezembro de 2012. Disponível para PC, Android, iOS e Windows RT.

Comprar: Steam | Google Play | App Store


8. Kerbal Space Program

Jogos baseados em física geralmente a utilizam para criar cenários engraçados ou inusitados. Kerbal Space Program, porém, apesar de seus personagens cômicos, é um simulador surpreendentemente preciso das mecânicas de um lançamento espacial, fato que o levou a ser generosamente premiado em feiras de jogos ao redor do mundo. Desenvolvido pela Squad, uma sequência está agora sendo desenvolvida por sua publicadora original, a Private Division.

Lançado em 27 de abril de 2015. Disponível para PC, PlayStation 4 e Xbox One.

Comprar: Steam | GoG | PlayStation Store | Microsoft Store


7. SteamWorld Heist

A Image&Form é, sem sombra de dúvidas, uma das desenvolvedoras mais talentosas do mundo indie atualmente. Este spin-off da série SteamWorld, de estratégia por turnos e aventura, foca majoritariamente na habilidade e mentalidade do jogador, dando pouco espaço para a sorte. É desafiador, mas no fim das contas ele oferece uma sensação de dever cumprido que não pode ser igualada.

Lançado em 10 de dezembro de 2015. Disponível para 3DS, PC, PlayStation 4, PlayStation Vita, Switch, Wii U e iOS.

Comprar: Steam | PlayStation Store (PS4) | PlayStation Store (PSVita) | App Store


6. FTL: Faster Than Light

Jogo que colocou o nome da Subset Games no mapa, FTL: Faster Than Light é um jogo de estratégia em tempo real que requer que o jogador divida seu pensamento entre a batalha e os recursos vitais de sua nave, criando um gameplay nunca antes visto.

Lançado em 14 de setembro de 2012. Disponível para PC e iOS.

Comprar: Steam | App Store


5. Wargroove

Fortemente inspirado pela série Advance Wars, Wargroove é como uma readaptação daqueles jogos para os tempos modernos, mudando também a roupagem para algo mais medieval e fantasioso. A sua campanha é desafiadora e bastante longa, mas não cansa. No fim das contas, o jogo desenvolvido pela Chucklefish é uma experiência brutalmente divertida e inegavelmente polida ao máximo.

Lançado em 1 de fevereiro de 2019. Disponível para PC, Switch e Xbox One, e futuramente para PlayStation 4.

Comprar: SteamMicrosoft Store


4. Plants vs. Zombies

Plants vs Zombies veio em um momento onde os jogos casuais eram dominados por puzzles rápidos e descompromissados. Trazer um tower defense, gênero pouco conhecido, para o mercado casual foi uma ideia arriscada, mas que provou seu valor. Plants vs Zombies trás uma mecânica bem familiar para quem já jogou outros jogos do mesmo estilo, mas com se diferencia justamente na proposta e ambientação criativa, que torna a experiência bem mais divertida e excêntrica, além de absurdamente icônica.

Lançado em 5 de maio de 2009. Disponível para DS, DSi, PC, PlayStation 3, PlayStation Vita, Xbox 360, Android, Bada, BlackBerry OS, iOS e Windows Phone

Comprar: SteamXbox Marketplace | Google Play | App Store


3. Slay the Spire

Quando o gênero de construção de baralho parecia saturado, Slay the Spire surgiu como um inovador inesperado, primeiro jogo da MegaCrit. Os elementos de roguelike que misturam estratégia e sorte, bem como a curva de aprendizado mais do que satisfatória, tornam a experiência em uma das mais viciantes que eu já joguei. Cuidado, porque depois que você começar a jogar, vai ser difícil largar o controle. 

Lançado em 23 de janeiro de 2019. Disponível para PC e Switch.

Comprar: Steam


2. Papers, Please

Em Papers, Please, Lucas Pope demonstra sua incrível capacidade de transformar algo monótono em uma mecânica divertida e viciante. Como um agente de imigração na fronteira de Arstotzka, um país fictício da antiga União Soviética, o jogador encontra personagens muito carismáticos, músicas altamente atmosféricas e mecânicas de jogo viciantes, que aumentam a dificuldade gradativamente de forma muito suave e natural. O jogo não levou Lucas Pope aos holofotes à toa.

Lançado em 8 de agosto de 2013. Disponível para PC, PlayStation Vita e iOS.

Comprar: Steam | PlayStation Store | App Store


1. Into the Breach

Muito difícil e ainda mais recompensador, Into the Breach consegue, de certa forma, ter um sistema de jogo extremamente complexo que consegue ser transmitido naturalmente, sem requerer nenhum esforço do jogador, que já está se preocupando em criar táticas para solucionar cada estágio do jogo, que mistura estratégia e puzzle. A atmosfera de horror e a liberdade para escolher as fases jogadas, somadas ao gameplay genial, tornam Into the Breach a obra prima da Subset Games.

Lançado em 27 de fevereiro de 2018. Disponível para PC e Switch.

Comprar: Steam

Previous Article
Teratopia — Análise
Comments (0)

Deixe uma resposta

Não perca nenhuma novidade!
%d blogueiros gostam disto: