Artigos

Os 20 melhores jogos indie de todos os tempos

Desde seus primórdios nos anos 70 e 80, a indústria dos jogos indie fornece uma alternativa aos jogos AAA. Com a revolução da distribuição digital, no fim dos anos 2000 e início dos anos 2010, porém, o cenário “explodiu” com novos desenvolvedores e ideias. Com tantos jogos sendo lançados a todo o tempo, fica até difícil encontrar os melhores. Por isso, através de uma votação com a equipe do The Game is a Lie, escolhemos os 20 melhores jogos indie de todos os tempos, considerando não só qualidade, mas também pesando seu impacto cultural.


20

20. Shovel Knight: Treasure Trove

Por conta da falta de recursos, tornou-se comum para os jogos indie simular gráficos 8-bits. Com o tempo, essa limitação tornou-se uma estética própria, e nada melhor pra representar esse avanço do que Shovel Knight, da Yacht Club Games. O jogo é uma grande homenagem aos games do NES, especialmente Mega Man e Ducktales, mas nunca se deixa ser apenas isso. Por trás da homenagem, há um olhar moderno capaz de refinar e traduzir a experiência retrô pra atualidade, sem perder a essência nem estagnar no tempo. Uma pérola multitemporal.

— Bruno Galvão

Lançado em 26 de junho de 2014. Disponível para 3DS, Fire OS, PC, PlayStation 3, PlayStation 4, PlayStation Vita, Switch, Wii U e Xbox One.

Comprar: Amazon | Steam | PlayStation Store (PS3) | PlayStation Store (PS4) | PlayStation Store (PSVita) | Microsoft Store


19

19. Divinity: Original Sin 2

É incrível como Divinity: Original Sin 2, da Larian Games, consegue superar o já fantástico primeiro jogo da série em todos os aspectos. Se passando séculos depois de Divinity: Original Sin, o jogo consegue ter uma história ainda mais profunda e narrativamente consistente, com um folclore quase infinito de lendas, mitos, divindades e criaturas. Financiado originalmente com uma campanha do Kickstarter que conseguiu cumprir sua meta em menos de 12 horas, é difícil que algum doador tenha saído decepcionado.

— Lucca Cardoso

Lançado em 14 de setembro de 2017. Disponível para PC, PlayStation 4 e Xbox One.

Comprar: Steam | PlayStation Store | Microsoft Store


18

18. Night in the Woods

Poucos jogos conseguem ser tão carismáticos quanto Night in the Woods, da Infinite Fall e Finji. O design de personagens, muito fofo e cartunesco, colide com temas seríssimos da melhor forma possível. Os diálogos são tocantes e a trilha sonora torna qualquer situação muito mais interessante. É difícil descrever as sensações que o jogo transmite, mas todos os seus aspectos conjuntamente o tornam um dos indies mais memoráveis de todos os tempos.

— Lucca Cardoso

Lançado em 21 de fevereiro de 2017. Disponível para PC, PlayStation 4, Switch e Xbox One, e futuramente para Android e iOS.

Comprar: Steam | PlayStation Store | Microsoft Store


17

17. Life is Strange

Uma história forte não basta para tornar um jogo bom. Mas quando essa história se encontra com uma jogabilidade cativante e tão interessante quanto em Life is Strange, da Dontnod Entertainment, é sucesso na certa. A mecânica de viagem no tempo, utilizada com muita eficácia para contar a história de Max, Chloe e de toda a cidade de Arcadia Bay, faz o jogo se destacar do resto, e as escolhas carregam todo o peso que um fã de jogos de aventura espera.

— Lucca Cardoso

Lançado em 30 de janeiro de 2015. Disponível para PC, PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox 360, Xbox One, Android e iOS.

Comprar: Steam | PlayStation Store (PS3) | PlayStation Store (PS4) | Xbox Marketplace | Microsoft Store | Google Play | App Store


16

16. INSIDE

Sendo dos mesmos criadores de LIMBO, qualidade e profundidade são esperadas. INSIDE demorou 6 anos para ser feito, e dura aproximadamente 3 horas. Valeu muito a pena. Esse é um jogo essencial para quem gosta de apreciar narrativas da melhor forma que um videogame pode fazer: pela jogabilidade. Esta é simples, pois a complexidade está nas entrelinhas. Inside conta uma das melhores histórias já vista nos jogos, sem usar uma linha de diálogo, apenas com o que o jogador joga, e isso é fenomenal.

— Bruno Galvão

Lançado em 29 de junho de 2016. Disponível para PC, PlayStation 4, Switch, Xbox One e iOS.

Comprar: Steam | PlayStation Store | Microsoft Store | App Store


15

15. Ori and the Blind Forest

Ori and the Blind Forest, desenvolvido pela Moon Studios, é uma aula de como contar uma história cativante de forma minimalista. É impossível conter as lágrimas em certas cenas. Isso, junto com cenários de tirar o fôlego construídos com gráficos que parecem ter saído de grandes filmes de animação e uma trilha sonora muito bem construída, torna o jogo um dos melhores jogos de plataforma da história.

— Lucca Cardoso

Lançado em 11 de março de 2015. Disponível para PC e Xbox One.

Comprar: Steam | Microsoft Store


14

14. Braid

Jogo mais antigo desta lista, Braid pode parecer ultrapassado para alguns. Mas, diferente de outros jogos do mesmo ano, o jogo de Jonathan Blow não passa a sensação de ser velho, e sim de ser clássico. Tomando elementos de gameplay de outras obras atemporais, principalmente da série Super Mario Bros., mas com uma história melancólica e profunda, nada poderia ser mais emblemático para representar essa indústria que cresceria exponencialmente nos anos seguintes.

— Lucca Cardoso

Lançado em 6 de agosto de 2008. Disponível para PC, PlayStation 3 e Xbox 360.

Comprar: Steam | PlayStation Store


13

13. Celeste

Celeste certamente foi um dos indies mais falados de 2018, sendo inclusive indicado a categoria de melhor jogo do ano no The Game Awards. Não é por menos: Celeste tem a proeza de contar uma uma história intimista aliada a mecânicas extremamente refinadas para qualquer jogo de plataforma. No jogo controlamos a personagem Madeline, uma jovem determinada a escalar uma montanha nevada. Uma premissa básica, mas que se revela muito mais profunda. Celeste, da desenvolvedora Matt Makes Games, é uma jornada de aceitação e crescimento, cheia de metáforas que retratam de forma delicada temas como ansiedade, autoestima e depressão. Tudo isso retratado através dos desafios que encaramos no gameplay.

— Bruno Galvão

Lançado em 25 de janeiro de 2018. Disponível para PC, PlayStation 4, Switch e Xbox One.

Comprar: Steam | PlayStation Store | Microsoft Store


12

12. Undertale

Undertale talvez seja o melhor case de sucesso da indústria indie: feito por uma pessoa só, Toby Fox, e sem o poder das propagandas, o jogo chegou aos holofotes puramente no boca a boca dos jogadores — todos absolutamente encantados. E não é difícil entender o motivo. O jogo tem aquele humor irônico e autodepreciativo que a internet adora, personagens e músicas marcantes, e , acima de tudo, um comentário metalinguístico sobre violência e empatia. Obrigatório pra quem quer entender o poder dos jogos.

— Bruno Galvão

Lançado em 15 de setembro de 2015. Disponível para PC, PlayStation 4, PlayStation Vita e Switch.

Comprar: Steam | PlayStation Store (PS4) | PlayStation Store (PSVita)


11

11. Minecraft

É difícil negar o impacto que Minecraft teve na indústria dos games como um todo. O jogo da Mojang mostrou, já no início da década, que era possível que jogos indie obtivessem o mesmo ou até maior sucesso do que jogos AAA, se tornando atualmente o jogo mais vendido de todos os tempos. A genialidade de seu conceito, que abre possibilidades infinitas, tornam o jogo absolutamente atemporal, podendo ser aproveitado em 2019 do mesmo jeito que era aproveitado em 2011.

— Lucca Cardoso

Lançado em 18 de novembro de 2011. Disponível para Fire OS, New 3DS, PC, PlayStation 3, PlayStation 4, PlayStation Vita, Switch, Wii U, Xbox 360, Xbox One, Android, iOS, Raspberry Pi e Windows Phone.

Comprar: Amazon | Minecraft.net (PC) | PlayStation Store (PS3) | PlayStation Store (PS4) | PlayStation Store (PSVita) | Xbox Marketplace | Microsoft Store (Xbox One) | Google Play | App Store | Minecraft.net (Pi) | Microsoft Store (Windows Phone)


10

10. Papers, Please

Em Papers, Please, Lucas Pope demonstra sua incrível capacidade de transformar algo monótono em uma mecânica divertida e viciante. Como um agente de imigração na fronteira de Arstotzka, um país fictício da antiga União Soviética, o jogador encontra personagens muito carismáticos, músicas altamente atmosféricas e mecânicas de jogo viciantes, que aumentam a dificuldade gradativamente de forma muito suave e natural. O jogo não levou Lucas Pope aos holofotes à toa.

— Lucca Cardoso

Lançado em 8 de agosto de 2013. Disponível para PC, PlayStation Vita e iOS.

Comprar: Steam | PlayStation Store | App Store


9

9. Into the Breach

Muito difícil e ainda mais recompensador, Into the Breach consegue, de certa forma, ter um sistema de jogo extremamente complexo que consegue ser transmitido naturalmente, sem requerer nenhum esforço do jogador, que já está se preocupando em criar táticas para solucionar cada estágio do jogo, que mistura estratégia e puzzle. A atmosfera de horror e a liberdade para escolher as fases jogadas, somadas ao gameplay genial, tornam Into the Breach a obra prima da Subset Games.

— Lucca Cardoso

Lançado em 27 de fevereiro de 2018. Disponível para PC e Switch.

Comprar: Steam


8

8. GRIS

GRIS, da Nomada Studio, é um dos jogos mais belos da história, em todos os sentidos. O seu minimalismo, seja em seu gameplay, sua direção de arte e sua trilha sonora, diz muita coisa. A experiência se torna um espaço de reflexão e emoção graças à aura do jogo, criada pela imagética impactante — e surrealista — que surge devido aos contrastes de cor, escala e movimento. GRIS é, sem dúvida, uma obra-de-arte.

— Lucca Cardoso

Lançado em 13 de dezembro de 2018. Disponível para PC e Switch.

Comprar: Steam


7

7. Gorogoa

O que Jason Roberts conseguiu criar um Gorogoa é surpreendente. O jogo não só possui um gameplay inovador, que consiste em juntar imagens distintas para criar um mosaico, como também conta uma história sutilmente emocionante. Os belíssimos gráficos desenhados à mão e a trilha sonora impactante ajudam a criar a atmosfera simultaneamente tensa e nostálgica, enquanto as animações suaves dão a impressão de um enredo contínuo, mesmo que hajam muitos saltos temporais e de localização.

— Lucca Cardoso

Lançado em 14 de dezembro de 2017. Disponível para PC, PlayStation 4, Switch, Xbox One, Android e iOS.

Comprar: Steam | PlayStation Store | Microsoft Store | Google Play | App Store


6

6. Dead Cells

Dead Cells tem um dos gráficos em pixel art mais genuinamente impressionantes de qualquer jogo. Personagens grandiosos, movimentos fluidos que misturam a segunda e a terceira dimensão e efeitos de iluminação bárbaros compõem cenários de cair o queixo. Não só isso, a jogabilidade que mistura roguelite e metroidvania criando um novo gênero – o roguevania – consegue ser inovadora em um meio que está mais saturado a cada dia. Tudo isso se torna ainda mais impressionante quando se sabe que a Motion Twin, desenvolvedora do jogo, nunca havia lançado um jogo comercial antes.

— Lucca Cardoso

Lançado em 7 de agosto de 2018. Disponível para PC, PlayStation 4, Switch e Xbox One.

Comprar: Steam | PlayStation Store | Microsoft Store


5

5. Hellblade: Senua’s Sacrifice

É raro encontrar jogos que tratem de assuntos tão sensíveis e pesados como transtornos mentais, e ainda mais difícil encontrar algum que o faça tão bem quanto Hellblade: Senua’s Sacrifice, da Ninja Theory. A história incrível não trabalha sozinha, porém, já que a jogabilidade – incluindo sua dificuldade acentuada – trabalha juntamente para uma atmosfera tenebrosa, pesada e, principalmente, representativa do terror que são os transtornos mentais.

— Lucca Cardoso

Lançado em 8 de agosto de 2017. Disponível para PC, PlayStation 4, Switch e Xbox One.

Comprar: Steam | PlayStation Store | Microsoft Store


4

4. Cuphead

Vagando pela vasta biblioteca de jogos indie, é sempre gratificante se deparar com um jogo que se destaca pela sua direção de arte única. Difícil é ter essa sensação depois de jogar Cuphead, da Studio MDHR. O game, que ganhou fama justamente pelos gráficos que referenciam as clássicas animações dos anos 30, te conquista pelo carisma infinito dos seus cenários e personagens, mas te prende na dificuldade. Cuphead é extremamente desafiador, lembrando run and guns como Metal Slug, mas com um charme da Disney que não te deixa desistir.

— Bruno Galvão

Lançado em 29 de setembro de 2017. Disponível para PC, Switch e Xbox One.

Comprar: Steam | Microsoft Store


3

3. The Red Strings Club

Da Deconstructeam, The Red Strings Club é um passo importante da indústria dos games em direção ao reconhecimento artístico que ela merece. Não se limitando a uma direção de arte bem-feita, uma trilha sonora atmosférica e um gameplay interessante, o jogo quebra barreiras com sua narrativa espetacular, tratando de assuntos extremamente atuais e importantes de uma forma sensível e profunda, sendo capaz de fazer refletir e arrancar emoções até dos mais resistentes.

— Lucca Cardoso

Lançado em 22 de janeiro de 2018. Disponível para PC e Switch.

Comprar: Steam


2

2. Return of the Obra Dinn

Um dos jogos mais inovadores na memória recente, Return of the Obra Dinn, desenvolvido pelo estúdio 3909 LLC, liderado por Lucas Pope, aperfeiçoa a jogabilidade de detetive à medida que consegue balancear sua dificuldade e o sentimento de descoberta do jogador. O sentimento total de liberdade enquanto se explora o navio Obra Dinn é acompanhado por aspectos artísticos magistrais que constroem uma atmosfera como nenhuma outra. Esse jogo oferece, com certeza, uma das experiências mais satisfatórias que algum jogo já ofereceu.

— Lucca Cardoso

Lançado em 18 de outubro de 2018. Disponível para PC.

Comprar: Steam


1

1. Stardew Valley

Desenvolvido por uma única pessoa, Eric Barone — mais conhecido como ConcernedApe –, Stardew Valley é muito mais do que um simulador de fazenda, ou até mesmo do que uma homenagem aos antigos jogos de Harvest Moon. Além de uma jogabilidade viciante, ele consegue criar um mundo acreditável e cheio de carisma, onde não só cada pessoa, como cada animal e pedaço do mapa possui uma personalidade única e memorável graças a uma direção de arte impecável. Assim, o jogador se perde nesse universo maravilhoso, onde horas passam como minutos.

— Lucca Cardoso

Lançado em 26 de fevereiro de 2016. Disponível para PC, PlayStation 4, PlayStation Vita, Switch, Xbox One, Android e iOS.

Comprar: Steam | PlayStation Store (PS4) | PlayStation Store (PSVita) | Microsoft Store

Anúncios
Previous Article
Traffix - Análise
Comments (0)

Deixe uma resposta

Anúncios
Anúncios
Anúncios
Anúncios
Não perca nenhuma novidade!
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: