Artigos

The Game is a Lie Awards 2019

A terceira edição do The Game is a Lie Awards continua com o formato da edição anterior, agora para premiar os jogos independentes que mais se destacaram em variadas categorias. Os indicados foram lançados pela primeira vez fora do meio das grandes publicadoras entre 1 de novembro de 2018 e 31 de outubro de 2019 para PC, PlayStation 4, Switch e/ou Xbox One.


Categorias Principais

Assim como na edição passada, essas categorias foram divididas em duas seções. Na primeira, elegemos o melhor jogo de cada um dos cinco gêneros gerais — Ação, Aventura, Plataforma ou Metroidvania, Puzzle e Estratégia; na segunda, premiamos a excelência em aspectos técnicos — aqui, todos os jogos concorrem, e a qualidade geral do jogo não importa. Por fim, premiamos o “Jogo Indie do Ano”, considerado o melhor em um balanço geral.

Cada membro do The Game is a Lie teve oportunidade de votar em seus favoritos para cada categoria, o que depois resultou em cinco indicados, sendo um o vencedor.


Melhor Jogo de Ação

O melhor jogo que se auto-denomina do gênero de ação. Os jogos deste gênero se caracterizam, em geral, por apresentarem desafios físicos de coordenação e reflexos.


Melhor Jogo de Aventura

O melhor jogo que se auto-denomina do gênero de aventura. Os jogos deste gênero se caracterizam, em geral, por focarem em sua narrativa e exploração.


Melhor Jogo de Plataforma ou Metroidvania

O melhor jogo que se auto-denomina do gênero de plataforma ou metroidvania. Os jogos destes gêneros se caracterizam, em geral, por apresentarem desafios que envolvem desviar de obstáculos e saltar entre plataformas.


Melhor Jogo de Puzzle

O melhor jogo que se auto-denomina do gênero de puzzle. Os jogos deste gênero se caracterizam, em geral, por apresentarem problemas que desafiam a habilidade de solução de sequências, reconhecimento de padrões, e capacidade lógica do jogador como um todo.


Melhor Jogo de Estratégia

O melhor jogo que se auto-denomina do gênero de estratégia. Os jogos deste gênero se caracterizam, em geral, por requererem pensamento habilidoso e planejamento para alcançar a vitória.


Melhor Narrativa

O jogo que conta com a narrativa mais interessante, seja por seu conteúdo, seu suporte ou sua forma de ser contada.


Melhor Direção de Arte

O jogo que mais se destacou quando se trata de gráficos e animações.


Melhor Trilha Sonora

O jogo que mais se destacou quando se trata de suas músicas e efeitos sonoros.


Jogo Mais Impactante

O jogo que mais nos impactou, seja de forma reflexiva ou emocional.


Jogo Mais Inovador

O jogo que apresentou as inovações mais substanciais ou interessantes.


Melhor Jogo de Estreia

O melhor jogo desenvolvido por uma desenvolvedora que não havia lançado nenhum outro jogo comercialmente antes.


Jogo Indie do Ano

O jogo que, considerando todos os seus aspectos, mais se destaca.


Categorias da Comunidade

No início de dezembro, abrimos uma enquete que permitiu ao público escolher seus jogos preferidos em algumas das categorias oficiais. Aqui estão os resultados (o vencedor está em negrito e a porcentagem de votos é apresentada à direita):

Melhor Jogo de Ação

  • Katana Zero (40%)
  • My Friend Pedro (36%)
  • Blasphemous (12%)
  • Children of Morta (8%)
  • Lonely Mountains: Downhill (4%)

Melhor Jogo de Aventura

  • The Outer Worlds (46,2%)
  • Outer Wilds (23,1%)
  • Disco Elysium (19,2%)
  • Yooka-Laylee and the Impossible Lair (7,7%)
  • Jenny LeClue – Detectivú (3,8%)

Melhor Jogo de Plataforma ou Metroidvania

  • GRIS (47,7%)
  • Monster Boy and the Cursed Kingdom (23,1%)
  • Feudal Alloy (7,7%)
  • Gato Roboto (7,7%)
  • Pikuniku (3,8%)

Melhor Jogo de Puzzle

  • Baba is You (40%)
  • Untitled Goose Game (36%)
  • Manifold Garden (16%)
  • Felix the Reaper (8%)
  • Etherborn (0%)

Melhor Jogo de Estratégia

  • Slay the Spire (44%)
  • Cooking Simulator (32%)
  • Wargroove (16%)
  • Overland (8%)
  • Fell Seal: Arbiter’s Mark (0%)

Jogo Mais Inovador

  • Untitled Goose Game (48%)
  • Creature in the Well (24%)
  • Slay the Spire (20%)
  • Sayonara Wild Hearts (8%)
  • Etherborn (0%)

Jogo Indie do Ano

  • GRIS (30,8%)
  • The Outer Worlds (26,9%)
  • Disco Elysium (23,1%)
  • Untitled Goose Game (15,4%)
  • Children of Morta (3,8%)

Jogos presentes na premiação, em ordem alfabética: Baba is You (Hempuli Oy); Blasphemous (The Game Kitchen/Team17); Children of Morta (Dead Mage/11 bit studios); Cooking Simulator (Big Cheese Studio/PlayWay); Creature in the Well (Flight School Studio); Degrees of Separation (Moondrop/Modus Games); Disco Elysium (ZA/UM); Etherborn (Altered Matter); Felix the Reaper (Kong Orange/Daedalic Entertainment); Fell Seal: Arbiter’s Mark (6 Eyes Studio/1C Entertainment); Feudal Alloy (Attu Games); Gato Roboto (doinksoft/Devolver Digital); GRIS (Nomada Studio/Devolver Digital); Jenny LeClue – Detectivu (Mografi); Katana ZERO (Askiisoft/Devolver Digital); Lonely Mountains: Downhill (Megagon Industries/Thunderful Publishing); Manifold Garden (William Chyr); Monster Boy and the Cursed Kingdom (Game Atelier/FDG Entertainment); My Friend Pedro (DeadToast Entertainment/Devolver Digital); Outer Wilds (Mobius Digital/Annapurna Interactive); Overland (Finji); Pikuniku (Sectordub/Devolver Digital); Sayonara Wild Hearts (Simogo/Annapurna Interactive); Slay the Spire (Mega Crit); The Outer Worlds (Obsidian Entertainment/Private Division); Untitled Goose Game (House House/Panic); Wargroove (Chucklefish); Yooka-Laylee and the Impossible Lair (Playtonic Games/Team17).

Comments (0)

Deixe uma resposta

Não perca nenhuma novidade!
%d blogueiros gostam disto: